ARTIGOS - PUBLICAÇÕES

A minha união estável chegou ao fim e agora?

A minha união estável chegou ao fim e agora?
Bárbara Corrêa

Viver uma união estável é viver como marido e mulher, o conhecido popularmente pelo “morar junto”. Em consequência disso, aqueles que vivem nessa situação possuem praticamente os mesmos direitos de um casamento na hora do divórcio. Principalmente, quando o assunto é partilhar o patrimônio adquirido nesse período.

Contudo, imaginemos que esse relacionamento chegue ao fim e seu companheiro ou companheira lhe surpreende negando que vocês viviam como marido e mulher. Alegando que não passava de um mero namoro, nega a união estável que você diz ter existido para lhe prejudicar na partilha dos bens.

E agora, o que fazer?

Existem alguns documentos ou situações que vão te ajudar muito nessa hora, e eu preparei uma lista exemplificativa para ti, sendo que quanto mais documentos dessa lista você tiver, melhor suas chances de provar a união.

  • Conta bancária em conjunto;
  • Documentos bancários.
  • Declaração de imposto de renda que conste o companheiro como dependente;
  • Documentos que demostrem que vocês dividiam o mesmo endereço (ex. contas de luz, água, telefone, condomínio...)
  • Certidão de nascimento de filhos havidos em comum;
  • Prova de encargos domésticos de atos da vida civil;
  • Registros em associações ou clubes que conste o outro como dependente;
  • Atendimentos médicos, exames, autorização de exames, onde conste o outro como responsável;
  • Apólice de seguros que conste o outro como beneficiário;
  • Contrato de plano de saúde, onde conste o outro como dependente;

E aí, sua união estável possui algumas dessas situações descritas acimas?

Baixe nosso E-book

E-book

Gostaria de analisar seu caso? Conheça nossa consulta online